DICAS VALIOSAS:Dez dicas simples para resolver o medo de fogos de artifícios em cachorros
31 de dezembro de 2018 346 Visualizações

DICAS VALIOSAS:Dez dicas simples para resolver o medo de fogos de artifícios em cachorros

Coluna do portal Estadão.com ensina como ajudar os pets

( * POR LUIZA CERVENKA DE ASSIS do site Comportamento Animal)

Todo final de ano é a mesma história: o que fazer com o cachorro que morre de medo de fogos? Desta vez, eu me incluo na lista dos tutores preocupados com esse assunto. Mas veja o que eu fiz e farei para resolver esse problema.

Em maio deste ano, resgatei uma cachorrinha chihuahua de pelo longo. Além de questões de saúde, a pequena Aurora veio recheada de medos. Todos os que você pode imaginar! Desde pessoas, cães, vassoura, chuva e, obviamente, fogos.

Com campeonatos de futebol e eleições deste ano, tive infinitas oportunidades para trabalhar o medo exagerado dos estampidos causados pelos rojões. Algumas das soluções, você pode fazer aí na sua casa.

Aromaterapia

Uma das essências mais relaxantes para cães e gatos é a lavanda. Com seu princípio de linalol, assemelha muito ao efeito do rivotril. Mas de uma forma super natural. Você pode comprar o óleo essencial na farmácia e diluir em álcool de cereal. O mais importante é jamais passar a essência no cachorro. Somente na caminha e locais que ele for ficar. Veja como fazer neste vídeo:

Musica relaxante em alto volume

Há pouco tempo, descobri as playlists com músicas específicas para cães, chamada Relax my dog (tem no youtube e no Spotify). Lá, há músicas específicas para crises de ansiedade e momentos estressantes. Se colocada com volume mais elevado pode ajudar a criar um clima mais relaxante para o cão. Também há a mesma para gatos, chamada relax my cat.

Comida favorita

Uma das formas de ajudar o cão a relaxar em momentos estressantes, é mudando o foco para algo que ele goste muito. No caso da Aurora, é comida. Por isso, eu sempre deixo um comedouro lento ou um brinquedo recheado com a comida favorita dela. Assim, ela começou a relacionar os estampidos com algo positivo e já melhorou muito o medo.

Local mais tranquilo e preparado

É muito importante que o cachorro se sinta seguro e protegido em momentos de medo e estresse. Por isso, prepare uma casinha (pode ser com caixa de papelão mesmo) ou um esconderijo para ele poder se abrigar. Coloque cobertores nas janelas e portas para abafar o som de fora. Tire do ambiente objetos perigosos e cubra quinas de móveis. Ah, evite coisas de vidro. É comum o cão tentar fugir por portas e janelas de vidro.

Amarração de tellington touch ou colete contra medo

Existe uma técnica chamada tellington touch. Ela se baseia em pontos específicos do corpo do animal. Se treinada com antecedência, pode ajudar muito a relaxar o animal. Nada de inventar de amarrar o cachorro somente na hora. Ele pode associar o pano a coisas negativas e piorar o medo. Se preferir, também tem os coletes contra medo. Eles ajudam o animal a se sentir abraçado e protegido. Mas não vale para os cães que odeiam roupinhas.

Veja como fazer a amarração aqui

Companhia

Normalmente, na hora da virada do ano, saímos, vamos comemorar em algum lugar e deixamos o peludo sozinho no quarto. A sua ausência pode aumentar e muito o medo dele. Os cães são animais sociais e se sentem mais protegidos em grupo. Por isso, fique com o peludo. Ajude-o a se acalmar.

Use sua respiração para acalmar o animal

Uma das formas de induzir o animal ao relaxamento e tranquilidade é com a sua respiração. Quando respiramos profundamente, nosso coração bate mais devagar. Isso ajuda o cachorro a regular com o nosso estado e se acalmar. Se ele permitir, coloque-o próximo ao seu peito para ele sentir as batidas do seu coração. Mas se ele não quiser, não force.

Nada de sedar o animal

Sabendo do desespero dos nossos pequenos, nos angustiamos. Queremos resolver aquela sensação a qualquer custo. Muitas pessoas acabam apelando para os remédios sedativos. Porém, não é recomendado fazer isso. Você não ensina o animal a lidar com a situação. Numa próxima, ele só vai piorar. Além disso, há casos em que o sedativo não faz efeito. Ou pior, faz o efeito reverso e excita ainda mais o animal. Mas o pior é dar essa medicação, o cão relaxar, mas acordar durante os fogos, com aquele barulho super alto. Ele vai ficar pior do que ele estava antes de tomar a medicação. Você já acordou no meio de um tiroteio? É mais ou menos essa a sensação do cão.

Não leve cães para praia ou rua

Para não deixar o peludo sozinho em casa, algumas pessoas optam por levar o animal para a praia, para a rua ou local que forem passar a virada. Nada disso é recomendável. O ideal é ficar em casa com o animal, em um local conhecido, com todos os recursos já mencionados. Levar para a rua ou praia, só irá aumentar o medo e a chance de fuga.

Kelli Schimelpfenig/Creative Commons

Identifique seu cachorro

Muito, muito, muito importante: coloque placa de identificação no seu cachorro!!! Não importa se você mora em apartamento ou se não há risco dele fugir. No desespero, ele irá arranjar um jeito. Qualquer distração é fatal e pode colocar em risco a vida do peludo. Por isso, a identificação pode ser a solução caso ele fuja ou se perca. Não são raros os casos de cães encontrados no dia 1º de janeiro.

Com essas pequenas mudanças no ambiente e na rotina, seu peludo poderá passar um réveillon melhor e aprender a lidar com situações de medo e ansiedade. Não é mágica, é treino.

Anterior DICAS LEGAIS: Conheça e use 10 truques que ficam "escondidos" do WhatsApp Web
Next BARRETOS: Menor é flagrado furtando no pátio da CIRETRAN

Você pode gostar também

Primeira Página

BARRETOS: Último Carnaval de Rua acontece Hoje (Terça-feira) dia 13 de Fevereiro

Acontece hoje(13)(TERÇA-FEIRA), O último Carnaval de Rua em Barretos a realização e organização deste evento fica por conta do Instituto Eterno Bebê com sua sede no bairro Vila Diva, de

Policial

Hackers invadem computadores do Hospital de Câncer e da Santa Casa e prejudica mais de 350 pacientes

Todos os computadores foram desligados ontem Terça Feira (27), o Hospital de Câncer de Jales e Fernandópolis  também  sofreu o ataque  cerca de 150 pacientes foram prejudicados em Jales e

Primeira Página

Adolescente de 16 anos é agredida pelo amásio de 18 com quem ela convive há 5 anos

Uma adolescente de 16 anos esteve no Plantão Policial acompanhada apor seu pai e também por outra testemunha, informando que pelo período de cinco anos ele manteve uma união estável

0 Comentário

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Você pode gostar também Comente sobre esta notícia.

Deixe uma resposta