REGIÃO: Polícia fecha fábrica de linguiça clandestina da marca Markine
28 de novembro de 2017 1310 Visualizações

REGIÃO: Polícia fecha fábrica de linguiça clandestina da marca Markine

Polícia fecha fábrica de linguiça clandestina da marca Markine

A Polícia Civil fechou nesta segunda-feira (27) uma distribuidora de alimentos e uma fábrica que industrializava linguiças de forma clandestina em Jaguariúna. Os policiais chegaram ao local após uma denúncia anônima. No local, foi constato a total falta de condições de higiene, além, disso o local não possui a documentação dos órgãos que regulamentam essas atividades. A produção da fábrica chegava a quase 20 toneladas de linguiças ao mês. Cerca de duas toneladas de carnes foram apreendidas e serão destruídas.

O proprietário da distribuidora e da fábrica clandestina de linguiça aguardará preso a decisão judicial.

A Polícia Civil contou com o apoio do departamento de Fiscalização e da Vigilância Sanitária da Prefeitura de Jaguariúna, além do órgão fiscalizador da Secretaria Estadual de Agricultura. A ação recebeu o nome de “Carne Fraca”.

Os policiais e os fiscais estiveram nos dois endereços. A primeira diligência foi na Rua Maranhão, no bairro Fazenda da Barra, onde um casal foi encontrado e acompanhou o trabalho dos policiais e dos fiscais. Ali foi constatada a distribuição irregular de produtos de origem animal produzidos e embalados de forma clandestina.

Os responsáveis foram notificados pelo departamento de Fiscalização da Prefeitura para que encerrem as atividades de imediato e também foram autuados pela Vigilância Sanitária da Secretaria municipal de Saúde.

Em seguida, com base nas informações fornecidas pelo casal, policiais e fiscais estiveram no Sítio Jequitibá, localizado em Pedreira, próximo à divisa com Jaguariúna, onde constataram a fabricação irregular de embutidos (linguiça) com a marca “Markine” e encontraram inúmeras embalagens plásticas e de papelão sem conter as informações obrigatórias por lei.

Lacração

A empresa que funciona no Sítio Jequitibá foi autuada pela Fiscalização Estadual (Defesa Agropecuária de São Paulo) e teve as instalações lacradas. Conforme o diretor do departamento de Fiscalização Tributária da Prefeitura de Jaguariúna, Ícaro Biotto Battoni, o local não apresentava as condições necessárias para fabricação de alimentos e tampouco as certificações estadual e municipal para funcionamento.

O dono do local revelou também que os resíduos da fabricação de linguiça eram despejados num rio próximo sem qualquer tratamento. O Instituto de Criminalística de Mogi Guaçu foi acionado e o dono do barracão onde a linguiça era embalada foi encaminhado à delegacia de Polícia de Jaguariúna, onde acabou autuado em flagrante por crimes contra a relação de consumo.

Anterior REGIÃO: Fóssil de dinossauro é encontrado em Jaci
Next BARRETOS: Equipe do Canil prende dois por tráfico e apreende mais de meio quilo de drogas

Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/storage/4/97/12/agazetadebarretos/public_html/wp-content/themes/trendyblog-theme/includes/single/post-tags-categories.php on line 7

Você pode gostar também

Barretos

BARRETOS: Carro é furtado no bairro Ibirapuera

A coordenadora A.B.A., mulher, 24 aos, morador ano centro da cidade, informou na delegacia que ela foi até o seu local de trabalho, no shopping, e deixou seu veículo, Ford

Policial

REGIÃO: Homem esfaqueia mulher na porta de casa e foge em Batatais

Vítima de 35 anos foi atendida pela UPA do município e está em observação. Caso é investigado como tentativa de homicídio pela Polícia Civil. ma mulher de 35 anos foi

Barretos

Comerciante barretense é roubado na cidade de São Bernardo do Campo e ladrões levam carro, dinheiro e diversos outros objetos

O comerciante J.C.G., 46 anos, morador no bairro Pedro Cavalini, esteve no plantão policial e informou que no último domingo ele viajou para a cidade de São Bernardo do Campo/SP,

0 Comentário

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Você pode gostar também Comente sobre esta notícia.

Deixe uma resposta