Vigilante diz ter sido ameaçado com uma arma quando foi acertar sua rescisão de trabalho
2 de junho de 2017 1614 Visualizações

Vigilante diz ter sido ameaçado com uma arma quando foi acertar sua rescisão de trabalho

O vigilante T.J.S.L., 33 anos, informou que trabalhou em uma empresa de monitoramento na função de vigilante/controlador de acesso, com registro em carteira pelo período de apenas quatro meses, cujo contrato havia sido assinado no dia do registro da ocorrência.

No dia anterior a vítima havia pedido demissão do trabalho, sendo as contas somadas e a ele foi informado que ele teria a quantia de R$4.818.00 para receber e a rescisão seria elaborada no dia do registro da ocorrência.

Porém, segundo a vítima, quando ele esteve em outro estabelecimento, onde seria feita a rescisão, que também de propriedade do seu ex-patrão, lhe foi entregue alguns papeis para assinar e quando a vítima os verificou, para seu espantou, constatou que não tinha nada para receber, pois no acerto constava um valor pertinente ao conserto de um veículo da empresa, cuja alegação o vigilante alega ser inverídica.

Ainda de acordo com a vítima, ao se recusar a assinar os papéis, seu ex-patrão colocou uma pistola, de cor preta, em cima da mesa, e mandou ele assinar a documentação.

Se sentindo ameaçado, a vítima pegou os papeis e deixou o local, procurando a delegacia, onde foi orientado a ir até a Delegacia do Trabalho para resolver a rescisão trabalhista, bem como foi orientado sobre o trâmite e prazo, caso tenha interesse em representar contra o autor.

Fonte: Mazinho Dias

Anterior Estudante tem mala extraviada ao retornar de viagem internacional
Next Menores são detidos traficando drogas no bairro Dom Bosco

Você pode gostar também

Barretos

NOTICIAS POLICIAIS: Localização e apreensão de objeto

A ocorrência foi apresentada no Plantão Policial pelos Policiais Militares, cabo Michelle e soldado Vieira, tendo eles informado que foram solicitados a comparecerem até a Avenida 43, bairro Centenário, onde

Policial

REGIÃO: Homem morre após ficar gravemente ferido ao tentar apagar incêndio de moto

Um gesseiro, de 36 anos, morreu depois que teve 70% do corpo queimado ao tentar apagar um incêndio em uma moto. O acidente foi na tarde de sábado (14), na

Policial

REGIÃO: Motociclista de 22 anos morre após colisão com carreta

Vítima foi atendida pelo Samu e pelo Corpo de Bombeiro e teve três paradas cardíacas. Um motociclista de 22 anos morreu em Matão (SP) após um acidente na manhã desta