TECNOLOGIA: Facebook admite coletar dados de pessoas sem perfil na rede social
17 de abril de 2018 1030 Visualizações

TECNOLOGIA: Facebook admite coletar dados de pessoas sem perfil na rede social

Essa foi uma das perguntas a que Zuckerberg não soube responder quando passou por audiências no Congresso dos EUA.

No texto, Baser comentou as “cerca de 40 perguntas” que o presidente da empresa, Mark Zuckerberg, deixou sem resposta em sua audiência declaração perante o Congresso dos Estados Unidos na semana passada para esclarecer como a rede social assegura a privacidade de seus 2,1 bilhões de usuários.

O executivo tentou responder quatro delas. Ao tratando da questão “Quando o Facebook obtém dados sobre pessoas de outros sites ou apps?”, Baser afirmou:

“Quando você visita um site ou aplicativo que usa nossos serviços, nós recebemos informações, até quando você está desconectado ou não possui uma conta do Facebook.”

A coleta de dados pela rede social foram de sua plataforma é feita quando um internauta:

  • Em sites de outras empresas, “curte” ou “compartilha” algum conteúdo no Facebook;
  • Usa sua conta na rede social para se registrar em um site ou aplicativo;
  • Acessa um serviço que é cliente de anunciantes do Facebook.

De acordo com Baser, essa prática é habitual no setor e é feita por outras grandes empresas.

“Twitter, Pinterest e Linkedin têm botões de ‘curtir’ e de ‘compartilhar’ similares, para ajudar as pessoas a divulgarem coisas. De fato, a maioria das páginas da internet e aplicativos enviam a mesma informação para várias empresas a cada visita”, afirmou.

O diretor diz que o Facebook consegue incluir informações sobre endereço IP do usuário, navegador ou tipo de sistema operacional utilizado, “porque nem todos os sistemas e dispositivos operam com as mesmas caraterísticas”. Os dados são usados para que o Facebook melhore seu “conteúdo e publicidade”.

Estas esclarecimentos acontecem depois da semana passada, quando Zuckerberg compareceu ao Senado e na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos para dar explicações pelo escândalo de Cambridge Analytica.

A consultoria política, que trabalhou para a equipe de Donald Trump durante a campanha presidencial norte-americana de 2016, usou as informações dos usuários do Facebook para desenvolver um programa destinado a antecipar as decisões dos eleitores para conseguir influenciá-los.

Fonte: G1

Anterior DESEMPREGO: Veja cinco dicas para lidar com com ele
Next BARRETOS: Mulher é agredida pela mãe e padrasto no estacionamento do shopping

Você pode gostar também

Tecnologia

Golpe no WhatsApp se disfarça de cupom de descontos do Burger King

Um novo golpe que está circulando pelo WhatsApp atrai vítimas com a promessa de R$ 50 em descontos nas lojas do Burger King. O golpe utiliza a promessa de desconto

Educação

Saiba das mudanças no ENEM 2017.

Exame será aplicado em dois domingos seguidos, não certificará mais o ensino médio e sabatistas farão a prova normalmente; veja as mudanças Em coletiva de imprensa concedida nesta quinta-feira (9),

Tecnologia

Éboato: Que governo pode cortar sinais de internet no Brasil para interromper comunicação entre caminhoneiros

Uma mensagem que diz que o governo pretende cortar os sinais de internet no Brasil para que os manifestantes envolvidos na paralisação de caminhoneiros não consigam se comunicar e interrompam

0 Comentário

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Você pode gostar também Comente sobre esta notícia.

Deixe uma resposta