POLÍTICA: “Moro de saias” diz que sairá do PSL e entrará no Podemos
15 de setembro de 2019 394 Visualizações

POLÍTICA: “Moro de saias” diz que sairá do PSL e entrará no Podemos

Sob a vista de um quadro de Jesus, de uma imagem de Nossa Senhora Aparecida e de uma escultura de um Cristo crucificado – nas paredes de seu gabinete -, a senadora de primeiro mandato Selma Arruda (MT), juíza aposentada também conhecida como “Moro de saias”, disse ao Estado que decidiu sair do PSL, o partido do presidente Jair Bolsonaro. “São coisas graves, é uma pressão que vem de todo lado, e é por isso que eu vou sair do PSL”, afirmou. “Na próxima quarta-feira (18) vou me filiar ao partido “PODEMOS.”

Não explicitou as “coisas graves”, mas disse que foi “pressionada por membros do PSL” para retirar sua assinatura do pedido para a instalação da CPI da Lava Toga. O único nome que citou foi o do senador Flávio Bolsonaro, igualmente do PSL e filho do presidente da República. Também alegou, entre os motivos da saída, a “falta de solidariedade” do PSL em relação ao processo de cassação de seu mandato, em andamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Selma Arruda – 56 anos, 22 deles como juíza – fez a campanha com as bandeiras do candidato Bolsonaro e da Operação Lava Jato. Foi eleita em primeiro lugar em seu Estado com 678.542 votos (24,65% dos válidos). Nem tinha assumido o mandato quando, em janeiro deste ano, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Mato Grosso desaprovou suas contas de campanha por unanimidade. Uma segunda decisão unânime do mesmo TRE, em abril, cassou seu mandato e o de seus suplentes, por abuso de poder econômico e caixa 2.

 

FONTE: TERRA.COM.BR

 

Anterior Roberto Leal, cantor português, morre aos 67 anos em SP
Next SEVERÍNIA: Garotinha de apenas 1,5 meses morre afogada em piscina de casa

Você pode gostar também

Política

Partido PODEMOS incorpora PHS e vira terceira maior bancada do Senado

  O partido Podemos acertou nesta sexta-feira a incorporação do PHS . O partido que lançou o candidato Álvaro Dias à Presidência, passará de 11 deputados para 17, superando o Solidariedade. No Senado, a sigla terá

Política

POLÍTICA: Deputado preso integra comissão que prepara novo Código de Processo Penal

Preso desde fevereiro, João Rodrigues não pode trabalhar na Câmara. Comissão especial analisa texto que propõe mudanças em ações penais e em investigações criminais. deputado João Rodrigues (PSD-SC), preso desde

0 Comentário

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Você pode gostar também Comente sobre esta notícia.

Deixe uma resposta