Estudante morre após atropelar cavalo na rodovia
6 de junho de 2017 1507 Visualizações

Estudante morre após atropelar cavalo na rodovia

Um estudante de 30 anos morreu na noite de segunda-feira, após o carro que dirigia atropelar um cavalo que estava solto na rodovia Washington Luís, no trecho entre Rio Preto e Mirassol.

Morador de Mirassol, Wangley Wilson Carvalho foi lançado para fora do veículo e sofreu traumatismo craniano.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Estadual, o cavalo estava pastando pela pista, o que obrigou muitos motoristas a fazerem manobras repentinas para não colidir com o animal.

Nesta manobra, Wangley perdeu o controle da direção do carro, após colidir com o cavalo e acabou capotando no canteiro central da Washington Luís. Devido a violência do impacto, o capô do carro chegou a se desprender.

Os policiais rodoviários também tentaram socorrer o cavalo, mas o animal não suportou os ferimentos provocados pelo atropelamento.

Um inquérito policial será aberto para investigar quem seria o dono do cavalo que provocou o acidente, porque ele será responsabilizado pela morte do motorista. Propriedades rurais da imediações da pista serão checadas pela polícia.

Anterior JBS vende para a Minerva negócios na Argentina, Paraguai e Uruguai
Next Sem Habilitação, motorista foge da policia que precisou efetuar tiros contra o motor do carro a fim de evitar um grande acidente

Você pode gostar também

Barretos

Sem saber o que fazer com filho desobediente de 10 anos, mulher o mantém trancado no quarto

Um menino de 10 anos de idade, acompanhado por sua mãe, uma mulher de 26 anos e seu padrasto, um homem de 38 anos, foram apresentados no Plantão Policial pela

Policial

BARRETOS: Monitor é agredido por assistido em instituição de ajuda social

O monitor J.L.M., 51 anos, esteve na delegacia noticiando que ele trabalha para uma entidade que presta serviço de acolhimento a pessoas carentes, e por volta das 6h30, ele tocou

Barretos

BARRETOS: “Trombadinha” furta celular e carteira no centro da cidade

O fotógrafo D.M.L.M., 28 anos, morador no Jardim Caiçara, relatou na delegacia que por volta das 13 horas, ele caminhava pela Rua 18, centro da cidade, ocasião em que sentiu

0 Comentário

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Você pode gostar também Comente sobre esta notícia.

Deixe uma resposta