DEU PAU: Troca entre carro e moto termina em apropriação indébita e lesão corporal
23 de setembro de 2017 838 Visualizações

DEU PAU: Troca entre carro e moto termina em apropriação indébita e lesão corporal

No Distrito Policial esteve o instalador L.A.E., 33 anos, noticiando que comprou um carro em uma garagem próxima ao bairro Zequinha Amêndola, e no negócio ele deu uma moto em troca do carro, um veículo Gol, ficando devendo ainda a quantia de R$3.000.00, que foi dividido em seis parcelas de R$500.00.

Alega a vítima que desde quando ele pegou o veículo Gol, este vive lhe apresentando problemas mecânicos e em relação a moto que ele deu no negócio, o dono da garagem já a teria vendido para outra pessoa desconhecida, porém o Certificado de Registro de Veículo (C.R.V.) está em sua posse e a vítima tem recebido diversas multas da moto.

Por esta razão ele procurou o dono da garagem, a quem ele identificou como “Mineiro”, e o mesmo disse a ele que não sabia onde estava a moto, ocasião em que a vítima disse a ele que queria desfazer o negócio e o dono da garagem se comprometeu a localizar a moto.

A vítima que conseguiu localizar a moto, mas não conseguiu apanhá-la, sendo que ao longo de quatro semanas o veículo teria passado pelas mãos de oito pessoas, e todos se esquivam da responsabilidade pelas multas.

A moto está em nome da mãe da vítima e o total de pontos destas multas culminaria com a perda de sua CNH.

Ainda de acordo com a vítima, o dono da garagem lhe procurou e propôs o desconto das multas no negocio do carro, porém a vítima não aceitou.

Depois ele propôs a ele a venda do carro e desta forma, lhe devolveria o dinheiro referente a moto e então, posteriormente, compareceu a casa da vítima em companhia de outra pessoa, que manifestou interesse em dar uma volta com o carro.

O suposto comprador saiu do local com o carro enquanto a vítima e “Mineiro” aguardavam seu retorno e após alguns minutos, “Mineiro” recebeu um telefonema em seu celular, que supostamente seria do comprador, que teria dito à ele que a roda do carro havia quebrado, sendo a vítima informada que o carro estaria próximo a um supermercado, tendo ele se comprometido a ir retirá-lo deste local.

A vítima apanhou uma bicicleta e foi até local, onde constatou que não ali havia nenhum carro quebrado e em contato telefônico com o dono da garagem, este veio a lhe dizer que o carro estava nas proximidades da Prefeitura e que iria levá-lo a um mecânico.

Posteriormente, a vítima teria novamente comparecido à garagem e indagado “Mineiro” sobre como ficaria o negócio, quando recebeu como resposta que teria que lhe pagar as citadas parcelas de 600 reais,  mais o conserto do carro, algo do qual a vítima discordou.

Iniciou-se, então uma discussão acalorada, em que foram trocadas palavras de baixo calão, momento em que a vítima teria sido golpeado e caído ao chão, sofrendo pequenos ferimentos.

Os veículos estão sendo devidamente bloqueados junto ao CEC0M, sendo a vítima orientada quanto ao prazo e trâmite para ofertar representação.

Anterior RACISMO: Frentista diz ter sido vítima de injuria praticada por colega de trabalho
Next Mulher é presa por receptação no bairro Dom Bosco

Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/storage/4/97/12/agazetadebarretos/public_html/wp-content/themes/trendyblog-theme/includes/single/post-tags-categories.php on line 7

Você pode gostar também

Barretos

North Shopping Barretos sedia Simpósio Brasil 200 com CEO da Riachuelo

Um dos mais importantes executivos do país estará em Barretos no dia 16 de abril, às 20h, como palestrante do Simpósio Brasil 200, uma iniciativa do Movimento Brasil 200, com

Policial

BARRETOS: Desempregado é preso depois de furtar cofrinho de moedas destinada a hospital

O desempregado E.A.S., 37 anos, natural de Canavieiras, interior da Bahia, foi preso em flagrante após furtar na Rodoviária de Barretos um cofrinho com moedas destinadas ao Hospital do Amor

0 Comentário

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Você pode gostar também Comente sobre esta notícia.

Deixe uma resposta