BEBEDOURO: Homem que esperou 8 dias por UTI Covid morre: ‘Luta em vão’, diz mulher
30 de abril de 2021 502 Visualizações

BEBEDOURO: Homem que esperou 8 dias por UTI Covid morre: ‘Luta em vão’, diz mulher

Leandro Porto Nischida, de 47 anos, foi levado da UPA ao Hospital Estadual na segunda-feira (26), mas não resistiu à gravidade do caso. Secretarias estadual e municipal de Saúde não comentaram.

Morreu na quinta-feira (29) em Bebedouro (SP) o homem de 47 anos que aguardou oito dias por um leito de terapia intensiva para tratar a Covid-19.

Na segunda-feira (26), Leandro Porto Nischida foi transferido da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), onde foi intubado no dia 21, para o Hospital Estadual de Bebedouro.

Antes da internação na UTI, a EPTV, afiliada da TV Globo, mostrou o drama da família dele na busca, sem sucesso, por uma vaga em um hospital. A mãe, dona Maria Assis Porto Nischida, chegou a implorar ajuda para o filho.

“Se passaram muitos dias, o caso se agravou, e quando ele realmente conseguiu, já era tarde, porque o caso era gravíssimo. Ele acabou morrendo ontem, infelizmente a nossa luta foi em vão. Ele não está mais entre nós”, diz Jaine Nischida, mulher de Leandro.

Segundo a família, Leandro foi levado para a UPA no dia 18 de abril. Ele tinha sintomas graves do novo coronavírus e foi intubado quatro dias depois. O pedido de transferência para um hospital foi feito à Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross), responsável por identificar os leitos disponíveis.

O histórico de saúde de Leandro, diabético, obeso e hipertenso, deixava a família ainda mais preocupada com a demora.

A vaga foi disponibilizada na segunda-feira, mas, de acordo com Jaine, tarde demais.

“Essa demora insuportável no atendimento de pacientes graves de Covid numa UTI acaba em morte. Meu marido ficou do dia 18 ao dia 26 de abril esperando uma UTI. Não questiono o tratamento, eles deram total apoio, mas a UTI é necessária nesse caso”, diz.

Jaine critica o poder público pela falta de políticas para a saúde e considera que houve negligência.

“Isso acaba com famílias inteiras, é muita dor. Eu acho que as pessoas que detêm o poder são negligentes, porque menosprezaram o vírus e a capacidade de estrago. Não se investiu nada em hospitais como se precisava. Fica um sentimento de impotência, e agora não tem mais nada pra eu fazer a não ser rezar para passar essa dor.”
Procuradas, as secretarias estadual e municipal de Saúde não comentaram o assunto.

 

Fonte: G1
Anterior SEVERÍNIA: Polícia Ambiental detém indivíduo capturando caranguejos
Next REGIÃO: Comerciante reage a tentativa de roubo e esfaqueia criminoso

Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/storage/4/97/12/agazetadebarretos/public_html/wp-content/themes/trendyblog-theme/includes/single/post-tags-categories.php on line 7

Você pode gostar também

Últimas Notícias

REGIÃO: Assaltantes atiram durante tentativa de roubo de caminhonete

Motorista foi abordado no trânsito da Via Norte, na noite desta terça (3), e bateu veículo em poste; tiros atingiram lataria do automóvel e ninguém ficou ferido Um motorista sofreu

Últimas Notícias

BARRETOS: Desempregado é preso em flagrante furtando fios de cobre em prédio na área central

A equipe de Policiais Militares, com os cabos Alex e Pereira, com o apoio do sargento Duarte, sargento Cleber e soldado Vicente, prenderam o desempregado J.C.N.N., 44 anos, sem residência

Últimas Notícias

BARRETOS: Secretaria Municipal de Educação amplia cuidados com o Covid em sua unidade

A Secretaria Municipal de Educação, comprometida com as questões que fomentam o distanciamento social e todas as demais ações que evitam a propagação da Covid 19, ampliou em sua sede,

0 Comentário

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Você pode gostar também Comente sobre esta notícia.

Deixe uma resposta